sábado, 2 de novembro de 2013

Gotas Na Taça


 
Nascemos vazios sem nem mesmo as habilidades de pré e pós conceituar. Nossos olhos passam de imediato a enviar ao cérebro todas as imagens ao seu alcance, mas não conseguimos ainda ver. Os ouvidos registram sons, porém, não sabemos ouvir. 
Chegamos como uma taça de cristal nova, prontos para receber sem poder escolher que líquidos nos darão.
Uns nos ensinarão o que é permitido às crianças e o que não devem fazer. Serão as primeiras gotas na taça.
Depois poderão nos dizer que temos uma religião e qual ela é. Afirmarão que torcemos por um time de futebol, que temos uma nacionalidade, que existe um deus. Demonstrarão com palavras ou atos o que é ser bom ou mau e nos apontarão o caminho a percorrer para chegar aonde desejam que cheguemos. 
Taças humanas nunca transbordam. Passaremos toda a vida ouvindo nos ensinarem o que podemos, o que somos, queremos, devemos...
Um dia seremos tudo o que nossos familiares, amigos, professores e, por que não, toda a massa humana desejaram que fôssemos ou, então, seremos uma imensa confusão. Ainda que não gostemos daquilo em que nos tornamos, seremos sempre o resultado dos outros. A menos que descubramos que há algo que não nos podem ditar como fazer: o pensar.
Quando passamos a pensar  nossas próprias ideias isentos de todas as influências exteriores iniciamos um processo de libertação e descobertas.
De todas as descobertas, uma das mais importantes é que nem tudo significa o que parece significar. Palavras e outras linguagens podem ter incontáveis significações a cada momento ou conforme nosso estado de espírito.
É importante ver, ouvir, ler e interpretar segundo nossos critérios e não mais com os dos outros, mesmo sendo pessoas muito queridas que, ao derramarem gotas amorosas em nós-taças, não acertaram.
É necessário, de vez em quando, derramar o conteúdo velho fora para nos abrirmos ao novo, permitindo passar somente o aprovado pelo filtro de nossa mente individualizada.
Todas as palavras têm certa força e algumas poder, mas nem toda palavra bonita é boa assim como não é ruim toda palavra estranha. Como leitores, observadores e ouvintes devemos saber qual é a boa gota de um texto, de um discurso ou de uma visão para permiti-la cair em nosso cálice.


Gilberto Leite