sexta-feira, 8 de novembro de 2013

Meus diálogos


 

Gosto muito de sair de noite às escondidas, sentar-me num degrau da escada, passar horas contando estrelas. Porque nesses momentos, geralmente e de repente nascem diálogos comigo mesmo (comigo mesmo é redundante, mas é usual), e há diálogos que só posso travar comigo, ninguém mais entenderia.
Gosto de ouvir o silêncio e os ruídos da noite. Eles sintetizam o som de todas as vozes e melodias cósmicas produzidas por gentes e não-gentes, presentes e ausentes; por anjos e não-anjos, ascendentes ou cadentes; por meteoros e universos.
Gosto de conversar com gatos que visitam meu telhado e muros (com os cães, à noite não muito, eles tornam-se menos conversadores). Gosto de falar com cachorros durante o dia quando se tornam mais espirituosos pois nos dão verdadeiras lições sobre como ser indiferentes ao que não é da nossa conta, como ser sinceros, quando defender atacando e quando evitar riscos fugindo deles.
Não gosto de pessoas que falam alto, que me interrompem, invadem meu espaço com seus narizes quase roçando no meu (rostos muito próximos, pele com pele só têm sentido se for para troca de carinhos, de calores eróticos); detesto falar com as que repetem sempre as mesmas coisas e também com aquelas que amam contar seus feitos heroicos ou gloriosos. 
Nas tragédias e mitologia antiga há espaços para heróis, há coerência. Fora disso não sei o que é alguém ser herói. Glória também é uma consagração incompatível com seres humanos; é uma palavra, um estado, elevação que combina, no meu modo de ver, com divindades; não me soa como algo do mundo de pessoas materiais.
Sinto falta de pessoas que conversem como o murmúrio da escuridão, como os gatos à noite e os cães durante o dia. Um tipo de pessoa que numa palavra ou num olhar consiga emitir o mistério do aummmmmmmm dos monges das montanhas ocidentais. 
Prefiro falar com estrelas ou com gente que pareça um pouco estrela, um pouco mosteiro, um pouco noite, gato, cão: pessoas que ecoem melodias de seu interior.

Gilberto Leite
gilbertopleite@hotmail.com